fbpx

domingo, 24 de outubro de 2021

Monitor do PIB-FGV vê recuo de 0,7% na atividade econômica em abril

Perdas acontecem na comparação com março, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

16 de junho de 2021

Compartilhe

No entanto, consumo das famílias avançou 4% entre fevereiro e abril (Foto: Reprodução)

O Monitor do PIB-FGV indicou um recuo de 0,7% na atividade econômica em abril, em relação a março, e crescimento de 0,3% no trimestre móvel terminado em abril, frente ao concluído em janeiro. Os resultados ocorrem na análise da série sem os efeitos sazonais. Já na comparação com os mesmos períodos de 2020, a economia avançou 12,3% em abril e 5,3% no trimestre móvel completado no mesmo mês.

Em termos monetários, a estimativa é que o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) atingiu, no acumulado do ano até abril de 2021, em valores correntes, R$ 2,7 trilhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (16), pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Para o coordenador do Monitor do PIB-FGV, Claudio Considera, o alto crescimento da economia em abril em relação a abril de 2020 deve-se à comparação com uma base deprimida, uma vez que, em abril do ano passado, a economia atingiu a maior queda na série histórica iniciada em 2000.

“Isso fica evidente quando analisada a evolução do PIB contra os meses imediatamente anteriores, onde a atividade econômica não tem apresentado desempenho tão robusto. Esses resultados mostram que ainda é cedo para afirmar que a economia está crescendo de forma sustentável. Para que isso ocorra é necessário que um percentual maior da população esteja vacinado [contra a covid-19]”, observou.

Sazonalidade

Neste relatório do Monitor do PIB-FGV, o Ibre fez ainda um exercício adicional utilizando a série com ajuste sazonal [típico de determinada estação ou época], porque a pandemia influenciou os fatores sazonais de 2020, que podem não estar relacionados à sazonalidade.

Segundo o relatório, alguns institutos de estatística internacionais têm feito análises desses impactos e, por isso, além do ajuste sazonal habitual referente ao período de janeiro de 2000 a abril de 2021, foi realizado, adicionalmente, o ajuste sazonal para 2020 e 2021 “considerando os fatores sazonais referentes a 2019 e o fator calendário corrente”.

Conforme os resultados, caso os fatores sazonais da série do PIB utilizados sejam aqueles do período de 2000 até 2019, a taxa de variação em abril de 2021 seria de -1,5%, menor que a de -0,7% observada considerando todo o período de 2000 até abril de 2021. 

“Esses resultados sugerem que as taxas ajustadas sazonalmente devem ser analisadas com cautela, pois a pandemia pode ter influenciado os fatores sazonais não apenas por razões econômicas como também estatísticas”, recomendou o relatório da FGV.

Famílias

O consumo das famílias avançou 4% entre fevereiro e abril, na comparação com o mesmo período do ano passado. Houve crescimento em todos os componentes do consumo. Os destaques foram o crescimento significativo dos produtos duráveis (29,1%) e semiduráveis (24,2%). “É importante destacar que o consumo de serviços cresceu pela primeira vez desde janeiro de 2020”, comentou o Ibre.

Capital

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), investimentos das empresas realizados em determinado tempo, que permitem o aumento da capacidade produtiva da economia, cresceu 17,3% no trimestre móvel terminado em abril em comparação ao mesmo período do ano passado. “Mais uma vez, pelo quarto mês consecutivo, todos os componentes da FBCF apresentaram crescimento, sendo o principal destaque o componente de máquinas e equipamentos”, indicou.

Exportação

As exportações também aumentaram no trimestre móvel concluído em abril. A alta ficou em 9,5%, em comparação ao mesmo período de 2020. O resultado, segundo a avaliação do Ibre, deve-se ao crescimento de todos os segmentos exportados, com exceção dos produtos da extrativa mineral.

Importação

A importação também registrou crescimento elevado de 20,7% no trimestre móvel findo em abril, em comparação ao mesmo período do ano passado. O desempenho foi influenciado principalmente pelo crescimento de bens intermediários. 

“A importação dos serviços, embora tenha sido a única queda da importação nesse trimestre (-0,9%), já sinaliza melhora em comparação com as fortes quedas apresentadas nos trimestres anteriores”, finalizou o Ibre.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Suframa prevê investimentos de R$ 7,9 bilhões e 1,4 mil novos empregos

A diversificação da produção de motocicletas elétricas, que deve gerar 218 novos postos de trabalho e investimentos de R$ 54 milhões, foi apresentada na reunião.

24 de outubro de 2021

Selos Brasileiros são criados para identidade única das Indicações Geográficas

Criação dos Selos é uma iniciativa liderada pelo Ministério da Economia/INPI, em parceria com o Sebrae e o Ministério da Agricultura, que irá agregar valor aos produtos.

23 de outubro de 2021

AM é líder em investimento em recursos humanos altamente qualificados

Com recursos de mais R$ 100 milhões, Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu, da Fapeam, investe na formação de recursos humanos altamente qualificados no estado.

23 de outubro de 2021

Amazonas teve a pior taxa de sobrevivência de empresas do país em 2019

Em 2019, só 16,3% das unidades locais de empresas do Amazonas seguiam ativas após dez anos de existência. Na Região Norte, a taxa de sobrevivência das unidades era de 19,0%.

23 de outubro de 2021

Supermercados cresceram 25% com retomada de projetos em 2021

Levantamento da Geofusion aponta para uma possível recuperação no ritmo de expansão dos supermercados. Projetos interrompidos por conta da pandemia foram retomados.

23 de outubro de 2021

Guedes minimiza exoneração de secretários e diz que saída é ‘natural’

Saída de quatro secretários da pasta aconteceu após manobra do governo federal para furar o teto de gastos e garantir o benefício de R$ 400 para o Auxílio Brasil.

22 de outubro de 2021

Contas externas têm déficit de US$ 1,7 bilhão em setembro, diz Banco Central

Em 12 meses, o déficit em transações correntes é de US$ 20,702 bilhões, 1,3% do Produto Interno Bruto, ante o saldo negativo de US$ 19,349 bilhões em setembro de 2021.

22 de outubro de 2021

Voltz Motors iniciará operações no PIM em dezembro

Fabricante de motos elétricas pretende reduzir o volume de importação a partir do adensamento da cadeia produtiva local. A expansão conta com investimentos de R$54 milhões.

22 de outubro de 2021