fbpx

terça, 18 de janeiro de 2022

Materiais escolares podem ficar até 30% mais caros em 2022

De acordo com a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares, as indústrias e os importadores estão sofrendo esse ano um grande aumento de custos.

28 de dezembro de 2021

Compartilhe

Consumidores buscam alternativas para economizar na compra do material (Foto: Reprodução)

Daqui a poucos dias 2022 inicia e com ele todas as despesas de começo do ano. E quem tem filhos na escola tem uma conta a mais: a compra de materiais escolares, que vai acompanhar a inflação e a alta do dólar. Segundo a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE), o aumento pode chegar a 30%.

“Para 2022, temos reajustes elevados em todas as categorias de materiais escolares, variando de 15% a 30%, em média”, afirmou o o presidente executivo da ABFIAE, Sidnei Bergamaschi.

De acordo com entidade, as indústrias e os importadores estão sofrendo esse ano um grande aumento de custos. “São aumentos elevados e frequentes nas diversas matérias-primas como, por exemplo, papel, papelão, plástico, químicos, embalagem, etc. Para os produtos importados, os principais impactos são a variação do dólar no Brasil, os aumentos de custos na Ásia e a elevação dos preços de fretes internacionais, decorrente da falta de containers. Além disso, as medidas antidumping para importações de lápis da China, adotadas pelo governo brasileiro este ano, aumentaram os custos na categoria de lápis”, observou Bergamaschi.

O executivo afirmou que nenhum produto escapará da alta de preços.  “Provavelmente todas as categorias de produtos sofrerão aumentos de preços”. E mesmo os produtos nacionais não terão tanta procura, por falta de opções. “Pode ocorrer alguma migração de volume de produtos importados para nacionais, mas em pequena escala. Para a maioria dos produtos atualmente importados, as opções de fornecimento nacional são pequenas”.

Este ano foi marcado por aulas híbridas em diversos estados, e com isso muitos estudantes reaproveitaram materiais escolares de 2020. Com o avanço da vacinação e a volta às aulas totalmente presencial, pelo menos na Educação Básica, a expectativa da entidade para 2022 é cautela.

“Acreditamos que a retomada das aulas presenciais na maioria dos locais no final de 2021 movimentou o setor, mas sem atingir os patamares pré-pandemia. Nosso mercado foi um dos mais atingido durante a pandemia, com escolas e comércio fechados, com uma queda no varejo de papelaria superior a 37%. Apesar de existir uma boa expectativa com o retorno das aulas presenciais em 2022, os comerciantes do setor de papelaria estão cautelosos, pois sofreram muito em 2021, quando não teve volta às aulas, muitas empresas estão em dificuldades financeiras e outras encerraram as suas atividades. Além disso, a degradação dos índices econômicos – dólar elevado, inflação em alta, desemprego e baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), põe em risco os resultados para nosso segmento”, avalia o executivo.

Alternativas

E se os preços estarão nas alturas, o jeito é buscar alternativas para economizar, explica o economista Sérgio Tavares. “Em primeiro lugar, é importante pesquisar bastante os preços, seja em lojas de rua, nos shopping centers e lojas online. Os preços costumam oscilar muito e dado o volume de itens a serem comprados, a economia pode ser boa para quem tem organização e disciplina neste sentido”.

Para quem se organizou, pagar à vista, em dinheiro, pode render um bom desconto. “Uma segunda abordagem é a tentativa de desconto para pagamento à vista ou em dinheiro, por exemplo, caso a compra tenha valor relevante. O valor à vista nunca pode ser o mesmo do valor total parcelado. O cliente deve perguntar antes se o preço à vista e o mesmo do preço parcelado, o  estabelecimento tem o dever de dar desconto para pagamento à vista”, orienta o diretor da STavares Consultoria Financeira.

Outra forma de economizar é conversar com outros pais, seja através de grupos e fazer compras conjuntas em livrarias, editoras e no atacado. Isso aumenta a probabilidade de conseguir preços menores.

“Uma última alternativa é comprar diretamente da escola, desde que a comodidade não represente maior preço em relação às lojas. Mas, o que é primordial é pesquisar bastante item a item em maior número de estabelecimentos possível, listando os descontos e facilitadores na forma de pagamento para a tomada de decisão. Dependendo do resultado da pesquisa, pode haver casos em que é mais lucrativo dividir a compra dos itens em vários estabelecimentos”, finaliza o economista.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Auxílio Gás: R$ 52 começam a ser pagos a 5,47 milhões de famílias hoje

Segundo o Ministério da Cidadania, as famílias podem sacar o vale-gás por meio do cartão usado para receber o Auxílio Brasil ou movimentar os R$ 52 pelo aplicativo Caixa Tem.

18 de janeiro de 2022

IPTU em cota única e com descontos pode ser pago até 15 de março

As informações de lançamento, assim como as guias para pagamento do IPTU 2022 estarão disponíveis para consulta e impressão dentro dos próximos dias no site Manaus Atende.

18 de janeiro de 2022

Leilão de quadrinhos raros, nos Estados Unidos tem arrecadação milionária

Leilão tem arrecadação superior a US$ 12 milhões com itens raros das editoras americanas de histórias quadrinhos publicadas entre os anos 1930 e 1980 com personagens famosos.

18 de janeiro de 2022

Grupo de farmácias vê teste de Covid saltar de 200 para 2 mil por dia

Grupo Tapajós identificou explosão de busca por testes de Covid e antigripais somente em janeiro entre as drogarias que administra, com a alta dos casos de gripes na cidade.

18 de janeiro de 2022

Mais ricos dobram fortunas e milhões entram para pobreza na pandemia

Fortuna dos dez mais ricos do mundo saiu de US$ 700 bilhões para US$ 1,5 trilhão de acordo com relatório "Desigualdade Mata" da Oxfam, divulgado na semana do Fórum de Davos.

17 de janeiro de 2022

Pedidos de recuperação judicial caem 24% em 2021, aponta Serasa

Segundo a Serasa, os micro e pequenos negócios tiveram o maior número de requisições apesar de estarem em queda no comparativo com o mesmo período do ano anterior.

17 de janeiro de 2022

Governo alerta sobre mudanças na Nomenclatura Comum do Mercosul

Medida obriga que empresas incentivadas do Polo Industrial de Manaus façam solicitação de adequação no banco de dados da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico.

17 de janeiro de 2022

Manaus teve a maior arrecadação de IPTU da Região Norte, em 2020

Conforme a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) divulgado nesta segunda-feira (17). A capital do Amazonas arrecadou naquele ano, R$ 289,1 milhões, seguida de Palmas.

17 de janeiro de 2022