fbpx

quinta, 02 de dezembro de 2021

Governo envia ao Congresso projeto para facilitar acesso a crédito

Com a medida, anunciada em cerimônia no Palácio do Planalto, será possível, por exemplo, usar o mesmo bem imóvel como garantia em mais de uma operação de crédito.

25 de novembro de 2021

Compartilhe

Medida altera o uso de garantias para obtenção de crédito (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou nesta quinta-feira (25) projeto de lei (PL), a ser enviado ao Congresso, com mudanças relacionadas ao uso de garantias para obtenção de crédito no país. Com a medida, anunciada em cerimônia no Palácio do Planalto, será possível, por exemplo, usar o mesmo bem imóvel como garantia em mais de uma operação de crédito.

Para o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, os trabalhadores e empreendedores voltarão a ser os donos de suas finanças e garantias.

“Se pensar em empresa, quantos empresários estão precisando de crédito e não conseguem pegar crédito barato porque não têm garantia? O novo mercado de garantia torna o crédito mais barato para todos os empresários brasileiros, principalmente para os pequenos que são aqueles que não têm acesso ao banco”, disse. “Com o apoio do Congresso, vamos aprovar esse conjunto de medidas que pode ser traduzido em mais crédito, juros mais baratos, mais emprego e mais renda para a sociedade brasileira”, destacou.

O objetivo do governo com o chamado Novo Marco de Garantias é tornar mais simples, eficiente e seguro o uso das garantias de crédito para investidores, além de reduzir custo e juros de financiamentos e aumentar a concorrência no setor. O projeto cria o serviço de gestão especializada de garantias e trata do aprimoramento das regras de garantias, do resgate antecipado de letras financeiras, entre outras medidas.

De acordo com o Ministério da Economia, a operacionalização do serviço ficará a cargo das Instituições Gestoras de Garantias (IGGs) – pessoa jurídica de direito privado cujo funcionamento será autorizado pelo Banco Central (BC) a partir de critérios definidos pelo Comitê Monetário Nacional (CMN).

“Os tomadores de empréstimos passarão a ter a possibilidade de fornecer suas garantias a essas instituições para avaliação e gestão. As IGGs definirão, com base nas garantias, o limite de garantia que o mutuário poderá ter acesso em diversas instituições do sistema financeiro”, explicou a pasta, em comunicado.

Além disso, à medida que o cliente for honrando os seus pagamentos, será aberto espaço para novas operações até o limite estabelecido, sem burocracia adicional. “Com a IGG gerenciando a garantia, os bancos ficam liberados para se concentrar apenas em sua atividade bancária de empréstimo”, destacou.

Segundo a pasta, será vedado às IGGs, no âmbito do contrato de gestão de garantias, a realização de qualquer atividade típica de instituição financeira, inclusive operações de crédito, mas elas serão as responsáveis por executar a dívida em caso de inadimplência do tomador do empréstimo. “O intuito é prever a separação da entidade que recebe a garantia, neste caso a IGG, da entidade que concede o crédito, para se evitar conflito de interesse”, explicou o ministério.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Última reunião do CAS do ano avalia investimentos que somam R$ 1,7 bi

Serão analisados 20 projetos industriais e de serviços e dois projetos agropecuários, que preveem geração de 832 postos de trabalho. Encontro vai acontecer em Boa Vista (RR).

2 de dezembro de 2021

Fatores climáticos levaram à queda do PIB, diz Ministério da Economia

Ministério da Economia diz que "maior crise hídrica em 90 anos e geadas tiveram impacto tanto no setor de energia como em setores que dependem do clima, como a agricultura".

2 de dezembro de 2021

PIB cai 0,1% no terceiro trimestre e Brasil entra em recessão técnica

Índice foi influenciado para baixo principalmente pela queda de 8,0% na agropecuária, consequência do encerramento da safra de soja e da queda nas exportações da commodity.

2 de dezembro de 2021

Investimento em sementes de malva busca nova forma de produção no AM

O cultivo de juta e malva é uma atividade que gera renda e ocupação econômica para mais de 2,08 mil agricultores familiares e produtores rurais no Amazonas.

2 de dezembro de 2021

CNI: sete em cada 10 indústrias têm dificuldades para comprar insumo

Dificuldades de abastecimento de insumos e matérias-primas afetaram em média 68% das empresas das indústrias extrativa e de construção, em outubro, segundo pesquisa da CNI.

2 de dezembro de 2021

Comissão Mista de Orçamento aprova acréscimo de R$ 72 bi para 2022

A Comissão Mista de Orçamento aprovou um acréscimo de mais de R$ 72 bilhões ao Projeto de Lei Orçamentária. Com o novo cálculo, governo se aproxima do equilíbrio fiscal.

2 de dezembro de 2021

Mercado Pet ganhou forte impulso no Amazonas durante a pandemia

Pandemia mostrou ao ser humano a necessidade de companhia, aproximando pessoas aos animais. Consequentemente, demanda por produtos e serviços destinados aos bichos cresceram.

2 de dezembro de 2021

Bancos digitais miram crédito para aquisição de automóveis

Eles estão de olho em um mercado que movimenta, em média, R$ 15 bilhões por mês, com 70% da concessão de financiamento concentrada em cinco grandes grupos.

1 de dezembro de 2021