fbpx

sexta, 28 de janeiro de 2022

Giraffas troca filé mignon por coxão duro no cardápio por conta da inflação

Rede de fast food Giraffas aumenta opções de pratos para compartilhar e aposta na modalidade de delivery de marmita.

28 de novembro de 2021

Compartilhe

A rede lançou uma promoção de três produtos com frango. (Foto: Divulgação)

Quando começou o fast-food Giraffas em 1981, o empresário Carlos Guerra tinha que lidar com uma inflação que beirava os 100% ao ano. No fim daquela década, se aproximou dos 100% ao mês.

“Era uma loucura, a gente encomendava produtos do fornecedor sem saber quanto iria pagar, seria cobrado o preço do dia”, afirma. A adrenalina de lidar com a hiperinflação no varejo só foi contida a partir de 1994, com o Plano Real.

As remarcações no valor dos pratos —que sua maioria levam arroz, feijão, carne grelhada e ovo frito—, feitas até então a cada 15 dias, passaram, ao longo dos anos, a serem realizadas a cada seis meses.

Mas neste ano o Giraffas acendeu o sinal de alerta: já foi feita a terceira remarcação de preços em 2021. E o cardápio precisou ser modificado: sai de cena o prato feito com filé mignon e entra o Churrasquito com coxão duro.

As carnes chegaram a cair 0,31% em outubro, segundo o IPCA-15, do IBGE —considerada a prévia da inflação oficial do país—, o primeiro recuo em 16 meses. Mas acumula alta de 22,06% no acumulado dos últimos 12 meses. O cenário fez o Giraffas renegociar contratos com fornecedores e fazer mudanças no cardápio.

A rede lançou uma promoção de três produtos com frango, todos abaixo de R$ 20 (o sanduíche sai a R$ 9,90), e tirou o filé mignon do cardápio.

Outra iniciativa para lidar com a inflação e os hábitos do consumidor no pós-pandemia foi o lançamento das marmitas para delivery, com pratos entre sanduíches e refeições, o Safari Marmitas. “Uma marca feita dentro da cozinha do Giraffas, mas apenas para o delivery, como se fosse uma dark kitchen”, diz Guerra.

Cada marmita custa R$ 19,90, um pouco acima do prato mais popular da rede, o Brasileirinho, de R$ 15,90, com arroz, feijão, proteína e batata frita. 

Da Redação, com informações da Folha de SP

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Defensoria Pública abre processo seletivo de estágio em Direito

As inscrições no Cadastro de Reserva da Defensoria Pública do Estado do Amazonas estão abertas para candidatos ao Estágio de Direito com bolsa de R$987 e auxílio transporte.

27 de janeiro de 2022

Secretários de Fazenda aprovam congelamento de ICMS dos combustíveis

Congelamento do preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF), base para cálculo do ICMS, tinha validade até 31 de janeiro. Com a decisão, valerá por mais 60 dias.

27 de janeiro de 2022

Jovem aprendiz colabora em média com 30% da renda das famílias, diz fórum

Fórum lançado nesta quinta, busca soluções para ampliar estágio e primeiro emprego no Brasil por meio de ações alinhadas com Estados e Municípios e ao Novo Ensino Médio.

27 de janeiro de 2022

Empresas podem acionar Justiça para liberar mercadorias na Receita

Mais empresas podem seguir a Moto Honda e acionar a Justiça para desembaraçar mercadorias fiscalizadas no operação padrão dos auditores fiscais, diz a Fieam.

27 de janeiro de 2022

Setor imobiliário deve frear reação devido Inflação e juros altos, em 2022

Conjuntura de 2022 com inflação e juros altos tem diferença em relação ao ano passado quando o mercado imobiliário reagiu bem apesar da pandemia, dizem especialistas.

27 de janeiro de 2022

Faturamento do PIM cresce 32% até novembro de 2021 e bate recorde

De acordo com dados da Suframa, o faturamento do Polo Industrial de Manaus acumulado de janeiro a novembro de 2021 atingiu volume recorde de quase R$ 145,59 bilhões.

27 de janeiro de 2022

5 milhões de m³/dia: consumo de gás natural atinge volume inédito no AM

Volume demandado em 2021 alcançou média de 5,2 milhões de m³/dia, alta de 5,5 % em comparação com o ano de 2020, segundo cálculos da Cigás.

27 de janeiro de 2022

Confiança da indústria registra sexta queda consecutiva, informa FGV

Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 1,7 ponto em janeiro, para 98,4 pontos, o menor nível desde julho de 2020, quando o índice atingiu 89,8 pontos.

27 de janeiro de 2022