fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Público ainda quer assistir a espetáculos virtuais no pós-pandemia

Ouvir música foi a atividade mais desfrutada na web durante a pandemia, mencionada por 79% dos entrevistados. Assistir a filmes e séries e jogos eletrônicos vieram depois.

22 de julho de 2021

Compartilhe

Pesquisa foi feita pelo Data Folha com o Itaú Cultural (Foto: Divulgação)

Mesmo após o fim da pandemia, a maior parte do público de atividades culturais pretende continuar, eventualmente, assistindo a espetáculos transmitidos pela internet. A segunda edição da pesquisa Hábitos Culturais, feita pelo Instituto Data Folha em parceria com o Itaú Cultural, mostra que 80% do público de espetáculos de música, dança e teatro pretendem continuar acompanhando programações online depois da retomada completa das atividades presenciais.

A pesquisa foi realizada entre os dias 10 de maio e 9 de junho e ouviu 2.278 pessoas, de diferentes faixas de renda, com idade entre 16 e 65 anos, em todas as regiões do país.

Ouvir música foi a atividade cultural mais desfrutada pela internet durante a pandemia e foi mencionada por 79% dos entrevistados. Assistir a filmes e séries (75%) e jogos eletrônicos (43%) vieram em seguida. Os cursos livres foram uma das atividades online de 41%, enquanto 40% assistiram a espetáculos de teatro, dança ou música. Os podcasts tiveram 39% de menções.

Mais acesso

O percentual dos que assistiram a espetáculos virtuais durante a pandemia é quase o mesmo daqueles que disseram ter frequentado dança, teatro ou shows musicais antes da quarentena contra o novo coronavírus (39%). Mas 57% das pessoas disseram ter aumentado o interesse por atividades culturais durante o confinamento.

Há ainda uma percepção de que o ambiente virtual aumentou a possibilidade de acesso a conteúdos culturais, efeito sentido por 72% do público da pesquisa.

O diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron, disse que esse efeito, em parte, já era percebido pela recepção dos trabalhos da instituição, em especial, em regiões onde o instituto não tem estrutura física. “Há um desafio maravilhoso de continuar acolhendo as pessoas para democratizar esse acesso”, destacou durante a apresentação dos dados.

Os trabalhos artísticos feitos ao longo da pandemia mostraram, de acordo com Saron, potencialidades da internet para a execução de espetáculos virtuais para além do que a simples transmissão pela câmera. “Tem interações entre o artista e o público difíceis de acontecer em um espetáculo físico”, acrescentou.

Preferência pelo presencial

A maioria das pessoas ainda prefere as atividades presenciais, mas há um número significativo que gosta de participar pela internet, mesmo que seja possível estar presente fisicamente. Entre o público dos shows musicais, 62% disseram que, se houver as duas opções, preferem a apresentação física, enquanto 32% optariam pelo online. Para os espetáculos de dança e teatro, o percentual dos que certamente escolheriam assistir presencialmente é um pouco maior (64%), mas 32% optariam pela transmissão via internet.

Entre as principais vantagens das versões online das atividades culturais, segundo a pesquisa, está a comodidade e flexibilidade de horário (25%), a segurança física e de saúde (13%) e a possibilidade de não se deslocar (11%).

Para 37%, as atividades presenciais são melhores devido ao contato pessoal. Já  a emoção foi mencionada por 13% e 10% disseram que a presença física é melhor para não ficar em frente ao computador.

Falta do cinema

O cinema foi a atividade que o público mais sentiu falta durante o período de isolamento social, mencionado por 67% dos que frequentam espaços de arte ou cultural. As apresentações artísticas foram citadas nesse contexto por 32% do público e as bibliotecas, por 21%.

Saúde mental

A pesquisa investigou ainda o adoecimento mental da população durante a pandemia de covid-19. Mais de um terço (36%) disse que pelo menos alguma pessoa no domicílio onde vive teve problemas emocionais ou de saúde mental durante a quarentena. Desses, 63% procuraram atendimento especializado.

A respeito dos efeitos positivos da arte na saúde emocional, 44% disseram que participar de atividades culturais melhorou a sua qualidade de vida. Para 48%, as ações culturais reduziram o estresse e a ansiedade e 51% perceberam uma diminuição na sensação de tristeza.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Comportamento

Programação da 1ª noite do Boi Manaus 2021 vai do gospel ao boi-bumbá

Nesta sexta (22), primeira noite do Boi Manaus, acontece uma homenagem aos profissionais que atuaram na linha de frente no combate à pandemia da Covid-19.

22 de outubro de 2021

Circuito Cultural Manaus 352 anos recebeu mais de 15 mil pessoas

Houve a contratação de artistas das diversas vertentes musicais e técnicos de produção e direção artística para a realização do Circuito Cultural Manaus 352.

22 de outubro de 2021

Mostra de arte indígena acontece até o dia 29 em Manaus

Essa é a primeira vez, em 352 anos da cidade de Manaus, que uma mostra de arte indígena está em exposição na capital amazonense.

22 de outubro de 2021

Cantores do The Voice Kids Brasil homenageiam Manaus com show

Os cantores mirins Davi Lucas, Raylla Araújo, Izabelle Ribeiro e Lorenzo Fortes irão se apresentar em um show em homenagem aos 352 anos da cidade de Manaus.

22 de outubro de 2021

Empresa treina brigadistas e doará EPIs para combater incêndios na Amazônia

As doações, no valor total de R$100 mil, serão divididas igualmente entre quatro locais da Floresta Amazônica que são alvo de queimadas.

21 de outubro de 2021

Última noite do Circuito Cultural Manaus 352 acontece nesta quinta

O evento é realizado desde o dia 15 desse mês, na avenida do Samba, e é um aquecimento para o Boi Manaus, que acontece nos dias 22, 23 e 24 deste mês no Sambódromo.

21 de outubro de 2021

Caprichoso retoma ensaios da Marujada e festeja seus 108 anos em Parintins

O evento, cercado de emoção e esperança, marcou a retomada dos ensaios da Marujada de Guerra e a volta do público após duas temporadas paralisadas por conta da pandemia.

21 de outubro de 2021

Jornalistas amazonenses apostam na cultura amazônica em produções para YouTube

Herman Marinho e Arnoldo Santos vão produzir conteúdos para o YouTube. Um dos projetos resgata a história de programas que já foram exibidos em TV aberta com muito boi-bumbá.

21 de outubro de 2021