fbpx

domingo, 24 de janeiro de 2021

Símbolo da luta contra covid em Manaus, hospital dá lugar a escola

Prédio estava pronto desde o 1º trimestre. Pandemia fez aulas presenciais serem suspensas para que o local fosse rapidamente transformado em hospital de campanha.

7 de dezembro de 2020

Compartilhe

O Cime estava pronto desde o primeiro trimestre de 2020 (Foto: Divulgação)

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, entregou nesta segunda-feira (7), o quarto Centro Integrado Municipal de Educação (Cime), localizado na avenida Comendador José Cruz, Lago Azul, zona Norte.

O Cime recebeu o nome de Dra. Viviane Estrela Marques Rodella e vai atender mais de 1,6 mil alunos entre educação infantil e ensino fundamental.

A inauguração contou com a presença do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell Marques, irmão da homenageada.

Lua contra a covid-19

O Cime estava pronto desde o primeiro trimestre de 2020, mas, em função da pandemia de Covid-19, as aulas presenciais foram suspensas.

Com o agravamento do quadro de pandemia e o colapso hospitalar, o prédio foi rapidamente adaptado para ser transformado em hospital de campanha, salvando mais de 600 vidas durante o seu período de funcionamento.

Após o encerramento das atividades, a unidade passou por nova adaptação, para voltar às condições anteriores e receber os alunos no próximo ano letivo.

“Nós temos vários símbolos. O primeiro que é uma escolona e vai dar uma educação inovadora e libertadora aos alunos. Fiz essas escolas em lugares muito pobres para dar oportunidades a elas. O segundo símbolo é a homenagem a uma pessoa preciosa, que morreu de maneira trágica e que merecia estar nesta reunião conosco. E terceiro é que aqui foi feito um hospital de campanha, que salvou centenas de vidas durante a crise mais forte da pandemia”, disse o prefeito.

De dor à esperança

A escola recebeu o nome em homenagem à médica Viviane Marques Rodella que, além da medicina, criou uma Organização Não Governamental que trazia crianças e alunos no contraturno para atividades educativas.

“Quero agradecer ao prefeito Arthur Neto e sua equipe, porque a Viviane dedicou sua vida à luta pelas crianças e adolescentes”, afirmou o ministro Campbell. “Minha mãe acreditava na educação libertadora, como essa escola se propõe”, reconheceu Gabriel Rodella, filho de Viviane. 

Com uma estrutura padrão e inovadora, pensado para uma educação do século 21, o Cime é a fusão da educação infantil e ensino fundamental em um só local, e dispõe de 576 vagas para alunos da educação infantil e 1.024 para o ensino fundamental.

O centro conta com 12 salas de aula em cada prédio, salas de música, leitura, multiuso, informática, vestiários masculino e feminino, brinquedoteca, jardins e espaços compartilhados, como a quadra de esporte coberta e auditório.

O prédio do ensino fundamental é de dois andares, mas oferece uma plataforma elevatória para pessoas com dificuldades de locomoção.

“A gestão do prefeito Arthur Neto está encerrando, mostrando que é possível dar oportunidades iguais para as crianças mais pobres. Não vamos mais reproduzir a educação bancária”, declarou a secretária da Semed, Kátia Schweickardt, referindo-se ao modelo em que os alunos recebem os conteúdos, sem estímulo à capacidade crítica.

“A educação integral será trabalhada junto com as comunidades”, completou a gestora.

Homenagem

O nome do Cime é uma homenagem a Viviane Estrela Marques Rodella, médica nascida em Manaus em 1961, que dedicou a vida aos estudos e às crianças carentes. Viviane foi professora de língua inglesa, antes de entrar na faculdade de Medicina na Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Fez residência em Nefrologia, mas foi na Pediatria que a médica amazonense dedicou a sua vida e trabalhou em vários hospitais em São Paulo e em alguns municípios do Estado.

Viviane dedicou sua profissão às crianças e adolescentes, sobretudo os mais necessitados, onde criou a Organização Não Governamental (ONG) “Mapear: Transformando dor em amor”, que já atendeu mais 500 crianças em estado de extrema pobreza.

A médica amazonense morreu no dia 16 de agosto de 2016 em um acidente de carro, no interior de São Paulo, na rodovia estadual SP-340, quando colidiu com uma carreta e capotou na pista.

Veja mais notícias

Parintins deve retomar aulas remotas na rede municipal

O programa “Aprendendo em casa nas ondas do rádio” foi implantado em abril, para não deixar de assistir os alunos na pandemia da Covid-19.

24 de janeiro de 2021

Central Integrada de Fiscalização vistoria sete estabelecimentos

Três bares foram flagrados funcionando, mas sem aglomeração, e os proprietários foram orientados a fechar o local.

23 de janeiro de 2021

Governo alinha critérios de vacinação dos trabalhadores da saúde

A expectativa é de que a imunização contra Covid-19 nos hospitais retorne ainda nesta sexta-feira (22) em 27 unidades, após a validação das propostas apresentadas.

22 de janeiro de 2021

Polícia prende 63 pessoas em bares clandestinos na zona Leste

A prisão aconteceu em cumprimento ao decreto governamental que proíbe a circulação e aglomeração de pessoas das 19h às 6h, devido à pandemia da Covid-19.

22 de janeiro de 2021

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

Medida considera “que a persistência e o agravamento da pandemia da Covid-19 no país impõem aos eleitores que não compareceram à votação nas eleições".

22 de janeiro de 2021

Bolsistas do PBU ganham aumento automático nos descontos

A medida se aplicará a um total de 175 bolsistas do Programa Bolsa Universidade (PBU) integrados à modalidade com isenção tributária e que possuem prazo até 2023.

22 de janeiro de 2021

Sindicato das escolas particulares recomenda aulas on-line no AM

Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas orientam sobre aulas 100% na modalidade de ensino remoto por conta da pandemia de Covid-19

21 de janeiro de 2021

Após mortes, governador do Pará diz que não há escassez de oxigênio

De acordo com a Sespa, 159 cilindros de oxigênio medicinal foram levados de caminhão para Santarém, de onde foram transferidos para outras cidades do oeste paraense.

20 de janeiro de 2021