fbpx

quinta, 21 de outubro de 2021

Supremo rejeita ação contra restrições de estados por Covid-19

O prosseguimento de ação aberta pelo presidente Bolsonaro contra decretos estaduais de restrições foi rejeitado nesta terça-feira pelo STF.

23 de março de 2021

Compartilhe

Ação de Bolsonaro contra estados cai no STF por decisão de Marco Mello (Foto: Divulgação)

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta terça-feira (23) o prosseguimento de uma ação aberta pelo presidente Jair Bolsonaro contra decretos da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul que impuseram medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19.

A ação direta de inconstitucionalidade (ADI) em questão foi protocolada na sexta-feira, às 23h03, diretamente pela Presidência da República. A petição inicial é assinada unicamente pelo presidente.

Sorteado ontem (22) como relator, Marco Aurélio afirmou que a ação não poderia ser aceita por ter “erro grosseiro”, impossível de ser corrigido, pois a petição inicial não veio assinada pela Advocacia-Geral da União (AGU). “O Chefe do Executivo personifica a União, atribuindo-se ao Advogado-Geral a representação judicial, a prática de atos em Juízo”, escreveu o ministro, informa a Agência Brasil.

No despacho de quatro páginas, Marco Aurélio ressaltou que o próprio Supremo já decidiu, ação anterior, sobre o poder de estados e municípios, junto com a União, implementarem medidas de combate à pandemia de covid-19. “Ante os ares democráticos vivenciados, imprópria, a todos os títulos, é a visão totalitária. Ao Presidente da República cabe a liderança maior, a coordenação de esforços visando o bem-estar dos brasileiros”, afirmou o ministro.

Na peça, o presidente Jair Bolsonaro pede que um decreto do DF, um da BA e dois do RS sejam declarados “desproporcionais” e derrubados por liminar (decisão provisória), “a fim de assegurar os valores sociais da livre iniciativa e a liberdade de locomoção”. As normas impõem toques de recolher e fechamento de comércio e serviços não essenciais, por exemplo.

Leia mais:

Leia mais sobre Brasil

A um mês do Enem, professores falam sobre uso de redes sociais

Eles dão dicas de como aproveitar essas ferramentas para fixar o conteúdo e alertam sobre os cuidados necessários para não perder o foco dos estudos.

21 de outubro de 2021

Vítimas de violência doméstica ganham acolhimento psicológico gratuito

O projeto, que já atendeu diversas pessoas presencialmente ao longo de três anos, passa a atender de forma on-line pessoas de diferentes regiões do Brasil acima de 18 anos.

20 de outubro de 2021

Covid-19 deixou 12 mil órfãos de até 6 anos no país, mostram cartórios

Segundo a Arpen-Brasil, 25,6% das crianças de até seis anos que perderam um dos pais na pandemia não tinham completado um ano.

19 de outubro de 2021

Brasil registra menor média móvel de mortes desde o início da pandemia

Queda na média móvel de mortes por Covid-19 se deu pela vacinação em massa, afirmou Queiroga; campanha de vacinação de 2022 está garantida com compra de imunizantes.

19 de outubro de 2021

Brasil recebe mais 1,3 milhão de doses de vacinas da Pfizer

Esse é o sexto lote da Pfizer entregue nesta semana, totalizando 10 milhões de doses. As vacinas ainda passarão por um controle de qualidade antes da entrega para população.

17 de outubro de 2021

Naufrágio de barco-hotel no Pantanal deixa ao menos seis mortos

Barco-hotel navegava pelo Rio Paraguai, na altura da cidade de Corumbá, no Pantanal. A embarcação foi atingida por um vendaval.

16 de outubro de 2021

Nasa lança sonda espacial ‘Lucy’ para estudar asteroides em Júpiter

Os cientistas esperam que o sobrevoo de Lucy por sete rochas troianas forneça novas pistas sobre como os planetas do sistema solar se formaram.

16 de outubro de 2021

População residente em área indígena e quilombola supera 2,2 milhões

“Somente com o Censo 2022 nós vamos conhecer a população quilombola. O que fizemos até aqui é uma metodologia de estimação muito específica", diz pesquisadora.

15 de outubro de 2021