fbpx

terça, 07 de dezembro de 2021

STJ gastará R$ 53 milhões com escolta armada para proteger ministros

Pelo edital da licitação, a escolta armada é direcionada às cidades de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro para segurança dos ministros.

15 de março de 2021

Compartilhe

O valor do contrato é superior ao anterior (Foto: Sérgio Lima/Poder360)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai empenhar R$ 53 milhões de seu orçamento na segurança de ministros. A Corte abriu edital nesta segunda-feira (15) para contratar serviços de segurança pessoal armada, com o objetivo de “preservar a integridade” dos magistrados. O valor do contrato é superior ao anterior, que chegou ao total de R$ 28 milhões, incluindo aditivos.

Segundo o edital de pregão eletrônico (íntegra), as escoltas armadas serão direcionadas às cidades de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro para segurança pessoal dos ministros e condução de veículos oficiais de representação e de transporte institucional.

“Trata-se de serviço essencial para se manter a integridade física dos senhores ministros, com foco na prevenção de possíveis ameaças, a partir da disponibilização de profissionais armados, atuando nos postos de residência e serviços de escolta”, diz trecho do edital.

O edital prevê a contratação de 172 profissionais de segurança em Brasília, 7 em São Paulo e 6 no Rio de Janeiro. O tempo do contrato é de 20 meses (1 ano e 8 meses), a princípio. Pode ser prorrogado mediante termo aditivo, com o limite de 60 meses (5 anos).

Último contrato

Na última licitação, o serviço tinha custo previsto de R$ 20 milhões, mas chegou a R$ 28 milhões por conta da extensão de prazos. O Tribunal havia contratado 168 profissionais de segurança armada que tinham também a função de conduzir veículos e escolta nas residências dos ministros.

Pelos 5 anos de contrato, houve 16 termos aditivos. Entre eles, de prorrogação de vigência, inclusão das filiais em São Paulo e Rio de Janeiro no faturamento dos serviços e ajustes de tributos.

Com informações do Poder 360

Leia mais:

Leia mais sobre Brasil

Réveillon no Rio de Janeiro é suspenso e Carnaval 2022 é incerto

"Tomara que não precise cancelar o carnaval", disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, após anunciar neste sábado (4) a suspensão da festa de réveillon.

4 de dezembro de 2021

Após 40 anos do primeiro caso, epidemia de HIV/aids ainda mata brasileiros

Representantes de grupos de pessoas com HIV reclamam de discriminação e de falta de vontade política para enfrentar a doença. Em 2020, foram registrados 32.701 casos no país.

4 de dezembro de 2021

Homens seguem em cargos-chave na OAB apesar de nova regra

Quase 70% dos secretários-gerais do próximo triênio serão homens, enquanto 74% das secretarias gerais adjuntas serão ocupadas por mulheres.

4 de dezembro de 2021

Vacinas são eficazes e não é hora de mudá-las, defendem diretores da OMS

Os diretores concordam que, agora, a maior preocupação é com a cepa identificada na Índia. E que, ao combater a Delta, países conseguem se preparar para lidar com a Ômicron.

4 de dezembro de 2021

Brasil registra 229 mortes e 10,4 mil infecções pela covid-19 em 24 horas

O País chegou aos 22,1 milhões de casos da infecção desde março de 2020. A média móvel de casos nos últimos 7 dias é de 8.777, conforme o consórcio de veículos de imprensa.

3 de dezembro de 2021

Merval Pereira é eleito presidente da Academia Brasileira de Letras

Também foram eleitos Nélida Piñon, secretária-geral, Joaquim Falcão, primeiro-secretário, Celso Lafer, segundo-secretário, e Evaldo Cabral de Mello, tesoureiro.

3 de dezembro de 2021

Visitas íntimas nas penitenciárias do país têm normas estabelecidas

Administração prisional exigirá, para a concessão da visita conjugal, o prévio cadastro da pessoa autorizada no respectivo serviço social do estabelecimento penal.

2 de dezembro de 2021

Anvisa aprova oitavo produto medicinal à base de Cannabis para uso no Brasil

O produto trata-se de uma solução de uso oral e será fabricado na Colômbia e, depois de pronto, iniciará a distribuição e a comercialização no Brasil.

2 de dezembro de 2021