fbpx

segunda, 14 de junho de 2021

STJ afasta governador do Rio de Janeiro por corrupção em contratos públicos

A Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro.

28 de agosto de 2020

Compartilhe

(Foto: Divulgação/Agência Brasil)

Foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (28) a Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro.

A ação autorizada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Benedito Gonçalves inclui o afastamento do governador Wilson Witzel por 180 dias.

Participam da operação procuradores do Ministério Público Federal (MPF), policiais federais e auditores da Receita Federal, para cumprir 17 mandados de prisão, sendo seis preventivas e 11 temporárias, e 72 de busca e apreensão em endereços ligados à cúpula do governo fluminense.

Além do governador, estão entre os investigados o vice-governador, Cláudio Castro e o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerg), André Ceciliano.

Estão sendo cumpridos mandados no Palácio Laranjeiras, no Palácio Guanabara, na residência do vice-governador, na Alerj e em outros endereços nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, de São Paulo, Alagoas, Sergipe e Minas Gerais e no Distrito Federal. Há, ainda, um endereço no Uruguai, local onde estaria um dos investigados que teve prisão preventiva foi decretada.

A investigação aponta que a organização criminosa instalada no governo estadual a partir da eleição de Witzel se divide em três grupos, para o pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos liderados por empresários. Os grupos teriam loteado as principais secretarias para beneficiar essas empresas.

Em outro inquérito, o ministro do STJ Jorge Mussi autorizou 12 mandados de busca e apreensão no estado do Piauí, relativos a um suposto esquema de funcionários fantasmas no governo fluminense.

Propina

Segundo o MPF, o principal mecanismo dos grupos era o direcionamento de licitações de organizações sociais e a cobrança de um percentual sobre pagamentos das empresas fornecedoras do estado, feito mensalmente a agentes políticos e servidores públicos da Secretaria de Saúde.

Entre as operações suspeitas está a contratação da Organização Social Iabas para gerir os hospitais de campanha montados para atender pacientes da covid-19.

Foi apurado também que alguns deputados estaduais podem ter se beneficiado de desvios de dinheiro de sobras dos duodécimos do Poder Legislativo. Os valores eram depositados na conta do Fundo Estadual de Saúde, de onde eram repassado para os Fundos Municipais de Saúde de municípios indicados pelos deputados, de onde recebiam de volta parte dos valores.

O MPF apura também suspeitas do uso do poder judiciário para beneficiar os agentes públicos, por meio de um esquema montado por um desembargador do Trabalho que beneficiaria organizações sociais do grupo por meio do pagamento de dívidas trabalhistas judicializadas.

A Procuradoria-Geral da República ofereceu hoje (28) denúncia no caso de pagamentos feitos por empresas ligadas a Mário Peixoto e da família de Gothardo Lopes Netto ao escritório de advocacia da primeira-dama, Helena Witzel. Segundo a acusação, o esquema transferia recursos indiretamente desses empresários para o governador.

Foram denunciados o governador Wilson Witzel, a primeira-dama Helena Witzel, Lucas Tristão, Mário Peixoto, Alessandro Duarte, Cassiano Luiz, Juan Elias Neves de Paula, João Marcos Borges Mattos e Gothardo Lopes Netto.

Governo

Em nota, a defesa do governador Wilson Witzel informou que “recebe com grande surpresa a decisão de afastamento do cargo, tomada de forma monocrática e com tamanha gravidade”. Os advogados estão aguardando para ter acesso ao conteúdo da decisão “para tomar as medidas cabíveis”.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais sobre Brasil

Ministério autoriza envio da Força Nacional para reserva Yanomami

Agentes da tropa federal ficaram na capital de Roraima, Boa Vista, por pelo menos 90 dias. Por segurança, o número de agentes deslocado não foi informado.

14 de junho de 2021

MPF busca na Justiça escolta à indígenas após ataque na divisa entre Pará e Amazonas

O ônibus com 72 lideranças indígenas do povo Munduruku foi alvo de tiros de garimpeiros ilegais, enquanto saiam do município de Jacareacanga em busca de ajuda em Brasília.

13 de junho de 2021

Fraudes no Auxílio Emergencial desviaram R$ 54,7 bi para quem não precisava

A falta de um banco de dados com as informações dos brasileiros permitiu fraudes na concessão do benefício. Ao menos 3,7 milhões foram cancelados, diz TCU.

13 de junho de 2021

Risco de racionamento de energia elétrica acende alerta e Ministério pede estudos

O governo federal prepara uma medida provisória para programar uma possível adoção de um programa de racionamento de energia no país devido a falta de chuvas no Sudeste.

13 de junho de 2021

Governo determina redução de vazão de água em usinas no rio Paraná

Usinas hidrelétricas devem começar estudos para efetivar a diminuição a partir de 1º de julho. A medida busca evitar possíveis apagões por causa da seca.

12 de junho de 2021

Robô chinês registra novas imagens de Marte e tira selfie

A previsão é que o robô explore Marte por 90 dias para buscar evidências de vida no planeta. A expedição faz parte de um projeto chinês ambicioso.

12 de junho de 2021

Ecad tem mais de 132 mil músicas cadastradas com amor no título

Registros foram feitos nos últimos 25 anos. Os títulos que mais aparecem são: Amor, Amor Proibido e Nosso Amor.

12 de junho de 2021

Brasil vai integrar pela 11ª vez o Conselho de Segurança da ONU

Ministério das Relações Exteriores afirmou, em nota, que o país “buscará traduzir em contribuições tangíveis a defesa da paz e da solução pacífica das controvérsias".

11 de junho de 2021