fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

Pfizer não aceita exigências de Bolsonaro sobre venda das vacinas

A Pfizer quer que o governo se responsabilize pelas demandas judiciais que possam ocorrer devido os efeitos da vacina. Isso, caso a Anvisa conceda o uso emergencial.

22 de fevereiro de 2021

Compartilhe

No mundo, 69 países já compraram a vacina da farmacêutica norte-americana (Foto: Reprodução)

A farmaceutica Pfizer disse que não concorda com as exigências do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a venda dos imunizantes no país. A afirmação foi feita durante uma reunião com o presidente do senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A Pfizer quer que o governo se responsabilize pelas demandas judiciais que possam ocorrer devido aos efeitos da vacina. Isso, caso a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceda o uso emergencial e temporário do imunizante.

Ainda segundo o órgão, as cláusulas defendidas não são exclusivas e existem em várias outras empresas, seguindo um padrão internacional.

Mas Bolsonaro não aceitou e atacou as condições propostas e, por isso, as negociações com a farmacêutica pararam. Agora cabe aos parlamentares ajudar a contornar a situação, dialogando com o presidente.

Vale destacar que na América Latina, apenas o Brasil, a Venezuela e a Argentina não teriam aceitado as regras. O Chile, por exemplo, assinou contrato e recebeu, em dezembro, milhares de doses da Pfizer, que já estão sendo aplicadas em sua população.

No mundo, 69 países já compraram a vacina da farmacêutica norte-americana, desenvolvida em parceria com a alemã BioNTech.

Da Redação, com informações do Valor Globo

Leia mais:

Leia mais sobre Brasil

Reforço vacinal tem intervalo reduzido e imunossuprimidos terão 4ª dose

Redução no intervalo para a dose de reforço quer ampliar a proteção contra a variante Ômicron. No caso dos imunossuprimidos, o intervalo conta a partir da 3ª dose.

20 de dezembro de 2021

Covid-19: Rio de Janeiro confirma primeiro caso da variante Ômicron

Mulher, cuja identidade não foi revelada, tomou a segunda dose da vacina contra covid-19 em março e não tomou a dose de reforço. Ela chegou ao Rio vindo de Chicago.

20 de dezembro de 2021

Chuvas no Sul da Bahia causam mais duas mortes, indica governo

Segundo órgão baiano, ao menos 14 pessoas morreram e 276 ficaram feridas em função dos eventos hidrológicos. Até ontem, 63 cidades baianas já tinham decretado emergência.

19 de dezembro de 2021

Garoto sofre racismo em escola: “Saudade de quando preto era escravo”

Em mensagens compartilhadas em grupo, alunos de colégio de BH fizeram comentários de cunho racista. Família levará caso à polícia.

19 de dezembro de 2021

Câmara técnica citada por Queiroga é favorável à vacinação infantil

No sábado, ministro da Saúde, Marcelo Queiroga disse que tema requer análise aprofundada de técnicos, mas especialistas já se manifestaram a favor do tema.

19 de dezembro de 2021

Ninguém acerta a Mega-Sena; próximo sorteio é da Mega da Virada

São os seguintes os números sorteados: 02 - 08 - 34 - 38 - 47 - 51. O prêmio da Mega-Sena da Virada está está estimado em R$ 350 milhões.

19 de dezembro de 2021

Miguel e Helena lideram ranking de nomes mais comuns no Brasil em 2021

Gael é o terceiro nome mais escolhido entre os meninos no Brasil com 23.973 registros no ano de 2021, mostra levantamento da Arpen Brasil.

19 de dezembro de 2021

Queiroga anuncia redução do intervalo da 3ª dose de 5 para 4 meses

Objetivo da medida anunciada por Queiroga é ampliar proteção da população com avanço da variante Ômicron. Portaria com modificação será publicada na segunda-feira.

19 de dezembro de 2021