fbpx

quinta, 23 de setembro de 2021

Pandemia causa queda de 27 milhões de procedimentos de saúde em 2020

Procedimentos eletivos - que não são de emergência - tiveram impacto pelo direcionamento de boa parte da estrutura de saúde a pacientes com Covid-19.

13 de setembro de 2021

Compartilhe

Informação está em levantamento do Conselho Federal de Medicina (Foto: Divulgação)

A pandemia de Covid-19 provocou a queda de 27 milhões de procedimentos de saúde que não são de emergência em 2020, como exames e consultas. O dado está em levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Segundo o estudo, quando comparados os dados entre março e dezembro de 2020 (do início da pandemia até o fim do mesmo ano) com o mesmo período de 2019, a diferença foi de 26,9 milhões de procedimentos, sendo 16,6 milhões de exames de diagnóstico, 8,8 milhões de procedimentos clínicos, 1,2 milhões de pequenas cirurgias e 210 mil transplantes.

Os procedimentos considerados eletivos, que não são de urgência e emergência, tiveram impacto pelo direcionamento de boa parte da estrutura da rede de saúde para atender os pacientes com covid-19.

Entre março e abril de 2020, com o avanço da primeira onda da pandemia, houve uma queda quase à metade do número de procedimentos, de 8,1 milhões para 4,8 milhões. Em abril, foram registrados 5 milhões de procedimentos e em maio, 5,6 milhões. Após recuperação, o ano terminou  com 8 milhões.

Conforme o levantamento do CFM, as áreas mais afetadas entre março e dezembro de 2020, em comparação com o mesmo período no ano anterior, foram as consultas e exames em citopatologia (-51%), neurologia (-40%), anatomopatologia (-39%), cardiologia (-38%), oftalmologia (-34%) e medicina clínica (-33%).

No período analisado, deixaram de ser realizados 2,8 milhões de cirurgias. Entre março e dezembro de 2020 foram realizados 4,6 milhões de procedimentos desse tipo, contra 7,5 milhões no mesmo período em 2019.

Quando considerados os números absolutos, os procedimentos que tiveram mais impacto foram os da área de oftalmologia (-6,2 milhões), seguidos por radiologia e diagnóstico de imagem (-5,3 milhões), médico-clínico (-2,8 milhões) e radioterapia (-2,5 milhões).

Sofreram grandes quedas exames como os de gasometria (medição de quantidade de O2 e CO2 no sangue), câncer e Papanicolau. Outros procedimentos afetados foram o atendimento em centro de atenção psicossocial, cauterização de lesões na pele e atendimento para indicação ou inserção do dispositivo intrauterino (DIU).

Por regiões, as mais afetadas foram a Nordeste (-31%), Sul (-29%), Sudeste (-27%) e Norte (-21%). Entre estados, as reduções mais intensas se deram em Alagoas (-47%), no Piauí (-45%), Amazonas (-38%), Espírito Santo (-36%), em Mato Grosso do Sul e Sergipe (-35%).

2021

No 1º semestre de 2021, o número de procedimentos eletivos foi de 50 milhões, 20% a mais do que no 1º semestre de 2020, quando foram registrados 41,6 milhões de consultas, exames e cirurgias. Quando comparado com o 1º semestre de 2019, o número representa uma queda de -14%.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) avalia que é possível adotar uma série de medidas para tentar compensar a queda, como campanhas junto aos pacientes, sobretudo para os que têm doenças crônicas.

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde afirmou, em nota, que a organização dos procedimentos de saúde e dos critérios para definir prioridades cabe aos estados e municípios. Segundo a nota, o órgão disponibilizou R$ 350 milhões em recursos adicionais para esse tipo de procedimento.

De acordo com a pasta, no primeiro semestre foram realizados 3,7 milhões de cirurgias eletivas, com aumento em relação ao mesmo período de 2020, com 3,4 milhões desses procedimentos, mas ainda há queda se comparado ao primeiro semestre de 2019, quando equipes de saúde fizeram 4,9 milhões de cirurgias.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Brasil

Surdos defendem Libras como segundo idioma oficial do Brasil

Presidente da Associação de Surdos de São Paulo diz que data busca conscientizar sobre importância dessa forma de comunicação, fundamental para inclusão da comunidade surda.

23 de setembro de 2021

Brasileiros são os que mais valorizam vacinação, mostra estudo

Entre oito países, Brasil é o que mais valoriza a vacinação, revela levantamento feito pelas empresas GSK e Kantar. Com a pandemia, valorização da prática foi de 59% para 83%

22 de setembro de 2021

STJ diz que não é crime ter item de cultivo de maconha para uso pessoal

Ministros entenderam que item para cultivar maconha não pode ser enquadrado na Lei de Drogas, que prevê pena de 3 a 10 anos de reclusão, se plantio for para consumo próprio.

22 de setembro de 2021

Fiocruz desenvolve teste molecular para detectar hanseníase

De acordo com a Fiocruz, Kit NAT Hanseníase é o primeiro teste molecular comercial para a doença desenvolvido no Brasil e o segundo exame do tipo a obter registro da Anvisa.

22 de setembro de 2021

MEC divulga resultado preliminar do Censo Escolar da Educação Básica

No dia 7 de outubro, o instituto realizará uma live em seu canal do YouTube para orientar os gestores das escolas e redes sobre os procedimentos.

22 de setembro de 2021

Pfizer-BioNTech: vacina contra Covid protege crianças de 5 a 11 anos

Segundo a Pfizer e a BioNTech, produto gerou resposta imune em crianças de 5 a 11 anos em seu ensaio clínico. Casos pediátricos da doença aumentam nos EUA.

20 de setembro de 2021

Aplicativo deve agilizar pré-cadastro de doadores de medula óssea

Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) tem 5,4 milhões de pessoas. Em 2021, até agosto, foram feitos no Brasil 200 transplantes.

18 de setembro de 2021

Aliança Nacional busca reduzir mortalidade materna e neonatal

"Cuidado materno e neonatal seguro” é o tema do Dia Mundial da Segurança do Paciente 2021, comemorado hoje. Uma carta-compromisso será divulgada nos próximos dias.

17 de setembro de 2021