fbpx

domingo, 05 de dezembro de 2021

Leilões de bens de criminosos pela Justiça batem recorde em 2021

Foram R$ 162 milhões até o dia 21 de junho, sendo que ainda estão programados mais 13 leilões até o fim deste mês. No ano passado inteiro, R$ 141 milhões.

23 de junho de 2021

Compartilhe

Leilões de bens de criminosos foram facilitados há 2 anos (Foto: Divulgação)

O valor arrecadado com leilões de bens de criminosos é o mais alto da história em 2021: R$ 162 milhões até segunda-feira (21). Em 2020, recorde anterior, foram R$ 141 milhões.

Estão programados mais 13 leilões até o fim de junho que, segundo estimativas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, devem render mais R$ 33 milhões.

Na terça (22), o Ministério da Justiça liberou 150 imóveis para leilão. A previsão é que sejam vendidos por R$ 200 milhões ainda este ano. Cada leilão será feito individualmente.

Leilões de bens de criminosos foram facilitados há dois anos. No dia 18 de junho de 2019, o governo federal publicou a MP 885, que ampliou as possibilidades de venda de bens apreendidos.

O Ministério da Justiça centraliza essas ações. No entanto, são os próprios juízes responsáveis pelos casos que determinam a venda dos bens.

Segundo o secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, o trabalho da pasta é para levar aos juízes essa possibilidade. “Há um interesse grande nos leilões. Temos avançado nas parcerias, que têm permitido o aumento nos valores totais“, disse.

Sempre que os bens são vendidos, o dinheiro tem destino certo a depender do crime pelo qual a pessoa foi condenada. Há três possibilidades:

  • tráfico de drogas – Fundo Nacional de Antidrogas (Funad);
  • corrupção – Fundo Nacional Penitenciário (Funpen);
  • milícias – Fundo Nacional de Segurança Pública (Fnsp).

De gado a diamante

Os itens leiloados variam muito. Em 2020, segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública,  foram leiloados 15 diamantes, 4,5 kg de ouro e 1.296 cabeças de gados, além de carros e aviões.

Há casos de grande repercussão nessa lista. Um exemplo são as joias e barras de ouro encontradas com o ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral. Foram contratados especialistas para avaliar os preços pelos quais as peças seriam vendidas.

Outro caso é do comendador João Arcanjo, ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso. Seus bens foram avaliados em R$ 100 milhões, mas nem todos foram vendidos.

Do Poder 360

Leia Mais:

Leia mais sobre Brasil

Réveillon no Rio de Janeiro é suspenso e Carnaval 2022 é incerto

"Tomara que não precise cancelar o carnaval", disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, após anunciar neste sábado (4) a suspensão da festa de réveillon.

4 de dezembro de 2021

Após 40 anos do primeiro caso, epidemia de HIV/aids ainda mata brasileiros

Representantes de grupos de pessoas com HIV reclamam de discriminação e de falta de vontade política para enfrentar a doença. Em 2020, foram registrados 32.701 casos no país.

4 de dezembro de 2021

Homens seguem em cargos-chave na OAB apesar de nova regra

Quase 70% dos secretários-gerais do próximo triênio serão homens, enquanto 74% das secretarias gerais adjuntas serão ocupadas por mulheres.

4 de dezembro de 2021

Vacinas são eficazes e não é hora de mudá-las, defendem diretores da OMS

Os diretores concordam que, agora, a maior preocupação é com a cepa identificada na Índia. E que, ao combater a Delta, países conseguem se preparar para lidar com a Ômicron.

4 de dezembro de 2021

Brasil registra 229 mortes e 10,4 mil infecções pela covid-19 em 24 horas

O País chegou aos 22,1 milhões de casos da infecção desde março de 2020. A média móvel de casos nos últimos 7 dias é de 8.777, conforme o consórcio de veículos de imprensa.

3 de dezembro de 2021

Merval Pereira é eleito presidente da Academia Brasileira de Letras

Também foram eleitos Nélida Piñon, secretária-geral, Joaquim Falcão, primeiro-secretário, Celso Lafer, segundo-secretário, e Evaldo Cabral de Mello, tesoureiro.

3 de dezembro de 2021

Visitas íntimas nas penitenciárias do país têm normas estabelecidas

Administração prisional exigirá, para a concessão da visita conjugal, o prévio cadastro da pessoa autorizada no respectivo serviço social do estabelecimento penal.

2 de dezembro de 2021

Anvisa aprova oitavo produto medicinal à base de Cannabis para uso no Brasil

O produto trata-se de uma solução de uso oral e será fabricado na Colômbia e, depois de pronto, iniciará a distribuição e a comercialização no Brasil.

2 de dezembro de 2021