fbpx

domingo, 23 de janeiro de 2022

Com ômicron e gripe, médicos sugerem festa de fim de ano com poucos parentes

Epidemia de influenza, que ocorre no momento em que o País registra primeiros casos da ômicron, preocupa especialistas, que preveem alta nos casos no início de 2022.

18 de dezembro de 2021

Compartilhe

Epidemia de influenza preocupa especialistas, que preveem alta nos casos. (Foto: Divulgação)

Próximo às celebrações de fim de ano, o surgimento das variantes ômicron da Covid-19 e Darwin, da influenza H3N2, preocupam os médicos. De acordo com os especialistas, se a população não se prevenir, o início de 2022 pode ser marcado por um cenário de piora da crise sanitária, com o agravamento da pandemia de coronavírus somada à epidemia de gripe.

Gerson Salvador, infectologista no Hospital Universitário da USP, afirma que é possível se reunir no fim do ano, mas com cuidado. Ele sugere, por exemplo, que eventos aconteçam em lugares abertos, como no quintal de casas, e que as pessoas mantenham o distanciamento entre si. O uso de máscara deve ser mantido durante o evento e retirado apenas na hora da refeição.

A higienização das mãos também deve ser constante. “O álcool tem eficácia relativa para a Covid-19, mas é muito eficaz para o vírus da influenza”, diz o médico.

Ele recomenda que as pessoas não subestimem a influenza, que causa a morte de 300 a 600 mil pessoas por ano e pode ser grave na população mais vulnerável, como crianças menores de dois anos, puérperas, pessoas com problemas respiratórios e idosos.

Infectologista e professora da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Raquel Stucchi avalia que o Natal de 2021 será realizado com muito cuidado. Na presença de idosos e imunossuprimidos, é recomendável o uso de máscaras com filtragem melhor, como a N95, e que todos estejam com a vacinação completa e atualizada. E, quem quiser se abraçar, deve fazer isso sem beijo e ainda de máscara.

Da Redação, com informações da Folha de SP

Leia mais:

Leia mais sobre Brasil

Reforço vacinal tem intervalo reduzido e imunossuprimidos terão 4ª dose

Redução no intervalo para a dose de reforço quer ampliar a proteção contra a variante Ômicron. No caso dos imunossuprimidos, o intervalo conta a partir da 3ª dose.

20 de dezembro de 2021

Covid-19: Rio de Janeiro confirma primeiro caso da variante Ômicron

Mulher, cuja identidade não foi revelada, tomou a segunda dose da vacina contra covid-19 em março e não tomou a dose de reforço. Ela chegou ao Rio vindo de Chicago.

20 de dezembro de 2021

Chuvas no Sul da Bahia causam mais duas mortes, indica governo

Segundo órgão baiano, ao menos 14 pessoas morreram e 276 ficaram feridas em função dos eventos hidrológicos. Até ontem, 63 cidades baianas já tinham decretado emergência.

19 de dezembro de 2021

Garoto sofre racismo em escola: “Saudade de quando preto era escravo”

Em mensagens compartilhadas em grupo, alunos de colégio de BH fizeram comentários de cunho racista. Família levará caso à polícia.

19 de dezembro de 2021

Câmara técnica citada por Queiroga é favorável à vacinação infantil

No sábado, ministro da Saúde, Marcelo Queiroga disse que tema requer análise aprofundada de técnicos, mas especialistas já se manifestaram a favor do tema.

19 de dezembro de 2021

Ninguém acerta a Mega-Sena; próximo sorteio é da Mega da Virada

São os seguintes os números sorteados: 02 - 08 - 34 - 38 - 47 - 51. O prêmio da Mega-Sena da Virada está está estimado em R$ 350 milhões.

19 de dezembro de 2021

Miguel e Helena lideram ranking de nomes mais comuns no Brasil em 2021

Gael é o terceiro nome mais escolhido entre os meninos no Brasil com 23.973 registros no ano de 2021, mostra levantamento da Arpen Brasil.

19 de dezembro de 2021

Queiroga anuncia redução do intervalo da 3ª dose de 5 para 4 meses

Objetivo da medida anunciada por Queiroga é ampliar proteção da população com avanço da variante Ômicron. Portaria com modificação será publicada na segunda-feira.

19 de dezembro de 2021