fbpx

sábado, 16 de outubro de 2021

Bolsonaro aciona STF para derrubar decretos sobre circulação de pessoas

Na ação, o presidente argumenta que o fechamento de atividades não essenciais na pandemia não pode ser feito por decreto, mas somente por lei formal aprovada no Legislativo.

19 de março de 2021

Compartilhe

As normas foram editadas pelos governos da BA, RS e do DF (Foto: Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar decretos da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul que restringem a circulação de pessoas. As normas foram editadas pelos governos locais com a justificativa de conter o aumento das contaminações e mortes por covid-19.

A abertura da ação direta de inconstitucionalidade (ADI) contra os decretos foi anunciada ontem (18) por Bolsonaro em sua live semanal, mas ele não havia especificado de quais estados eram as normas questionadas.

A petição inicial da ADI, agora disponível no site do STF, pede que um decreto do DF, um da BA e dois do RS sejam declarados “desproporcionais” e derrubados por liminar (decisão provisória), “a fim de assegurar os valores sociais da livre iniciativa e a liberdade de locomoção”.

A peça é assinada somente pelo próprio Bolsonaro e foi protocolada às 23h03 de ontem (18) diretamente pela Presidência da República. Até o momento a ação ainda não foi distribuída a um relator.

Na ação, o presidente argumenta que a restrição à circulação só é possível se quem for alvo da medida estiver de fato doente ou com suspeita de doença, não sendo possível “vedações genéricas à locomoção de pessoas presumidamente saudáveis”.

O texto também argumenta que o fechamento de atividades não essenciais na pandemia não pode ser feito por decreto, mas somente por lei formal aprovada no Legislativo.

Bolsonaro pede que o Supremo declare “que mesmo em casos de necessidade sanitária comprovada, medidas de fechamento de serviços não essenciais exigem respaldo legal e devem preservar o mínimo de autonomia econômica das pessoas, possibilitando a subsistência pessoal e familiar”.

Os decretos estaduais e o distrital foram editados com a justificativa de conter a disseminação da covid-19, num momento de alta expressiva nos números da pandemia. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a média móvel de mortes atual é de 2.087 por dia, o dobro do observado há um mês (1.036 óbitos).

Com informações da Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Brasil

População residente em área indígena e quilombola supera 2,2 milhões

“Somente com o Censo 2022 nós vamos conhecer a população quilombola. O que fizemos até aqui é uma metodologia de estimação muito específica", diz pesquisadora.

15 de outubro de 2021

Futuro da energia: nuclear, eólica e solar para diversificar matriz

Atualmente, 60% da energia no país vem das hidrelétricas. O ministro de Minas e Energia acredita que, até 2030, essa dependência será reduzida para, no máximo, 49%.

14 de outubro de 2021

Futuro da energia: preservar nascentes para aumentar reservatórios

Projetos de reflorestamento em nascentes aumentam volume dos rios. Iniciativas no Rio São Francisco e na Bacia do Paraná deixam níveis de reservatórios menos críticos.

13 de outubro de 2021

Brasil registra 185 óbitos de Covid e 7.359 diagnósticos em 24 horas

Desde o início da pandemia, morreram no Brasil mais de 600 mil pessoas pela covid-19. Os números das últimas 24h seguem a tendência de queda por conta da vacinação.

12 de outubro de 2021

Medicamento da AstraZeneca reduz mortes e casos graves de Covid-19

No estudo, o medicamento reduziu o risco dos pacientes ambulatoriais desenvolverem covid-19 grave ou morrerem da doença em 50% em comparação com os que usaram placebo.

11 de outubro de 2021

Às vésperas do jogo na Arena da Amazônia, Brasil empata com Colômbia

A seleção brasileira ficou no 0 a 0, em Barranquilla, em partida que representou a 10ª apresentação do time na competição. O Brasil agora tem nove vitórias e um empate.

11 de outubro de 2021

‘Não roubarás’: pastores são investigados por desviarem dízimo da Universal

Suspeita é que grupo de pastores integre o esquema de pirâmide financeira do chamado "Faraó das Bitcoins"; dinheiro teria sido usado para compra de imóveis de luxo.

10 de outubro de 2021

Anvisa aprova ampliação do prazo de validade da vacina da Janssen

O novo prazo aprovado pela agência reguladora passa de quatro meses e meio para seis meses, sob condições específicas de armazenamento, de 2°C a 8°C.

10 de outubro de 2021