fbpx

domingo, 05 de dezembro de 2021

Após melhora no quadro, Bruno Covas é extubado e deixa UTI

Os médicos que o atendem disseram que Covas está bem, fazendo piadas e querendo assistir ao jogo do time pelo qual torce, o Santos, contra o The Strongest, nesta terça.

4 de maio de 2021

Compartilhe

O prefeito apresentou um sangramento em uma úlcera no estômago (Foto: Divulgação)

Em tratamento contra um câncer desde 2019, o prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, foi extubado na noite de ontem (3) após o sangramento em uma úlcera no estômago ter sido estancado. Ele continua internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, mas deixou a unidade de terapia intensiva (UTI). Agora, Covas aguarda liberação de um leito de unidade semi-intensiva, sem previsão de alta.

“Entendemos o sangramento como evento pontual. Faz parte do acompanhamento de doentes crônicos que tenham eventos pontuais. No caso, foi um sangramento gástrico, mas poderia ter sido uma infecção ou qualquer outra contingência. Como tal, este procedimento foi enfrentado. Foi enfrentado o sangramento, foi estancado o sangramento, o paciente foi para uma unidade de terapia intensiva e acaba de ter alta”, explicou o médico David Uip, que compõe a equipe médica que trata o prefeito e que já foi médico particular do avô do prefeito, o ex-governador Mário Covas, que também lutou contra um câncer.

Em entrevista coletiva no início da tarde de hoje (4), os médicos que o atendem disseram que Covas está bem, fazendo piadas e querendo assistir ao jogo do time pelo qual torce, o Santos, contra o The Strongest, que se enfrentam hoje pela Copa Libertadores da América.

“Essa foi a grande angústia que ele teve e ele ficou muito feliz em sair da UTI [para ver o jogo]”, disse o médico Artur Katz.

“Hoje ele está animado, revigorado, fazendo piadas e descontraído. Essa é uma característica da personalidade dele. Mesmo diante das dificuldades e desafios que ele tem, ele sempre procura fazer piadas e descontrair. Ele está motivado para seguir adiante nessa batalha, nessa jornada, com nossa ajuda”, disse o médico oncologista Tulio Eduardo Flesch Pfiffer.

Por enquanto, os médicos não têm previsão de quando Covas poderá retomar o seu tratamento fazendo as sessões de quimioterapia e de imunoterapia, que deveriam ter ocorrido ontem (3) e foram suspensas após Covas apresentar o sangramento.

“Aquilo que estava previsto que era a segunda sessão de quimioimunoterapia foi obviamente adiada e vai depender de outros fatores, inclusive a recuperação do sangramento. Além do estancamento do sangue, ele teve que receber unidades de sangue. Foi um sangramento agudo. O prefeito neste momento está normal, sentado em uma cadeira, conversando habitualmente”, acrescentou Uip.

Sangramento

Bruno Covas foi internado no último domingo (2) para fazer exames de rotina de sangue, de imagem e endoscópios, que acabaram demonstrando um sangramento no local do tumor inicial. Os médicos decidiram então intubá-lo.

“A intubação foi uma estratégia basicamente para evitar que os coágulos fossem aspirados e fossem contaminar a via aérea. Foi basicamente uma intubação para proteger a via aérea durante a realização de um evento. Uma vez superada a hemorragia e o estômago todo limpo, se pode proceder a extubação”, explicou Katz.

“O objetivo atual é recolocar o prefeito em suas condições ideais de saúde, seja pela reposição do sangue perdido, seja pelo controle hemodinâmico, seja por nutrição, para que a gente possa futuramente avaliar quando tomar alguma decisão do ponto de vista oncológico, do ponto de vista de continuidade do tratamento, já que essa intercorrência (o sangramento) nos forçou a uma espécie de desvio dos planos originais”, explicou Arthur. “Uma vez superada a intercorrência, vamos planejar o que fazer daqui para a frente”, acrescentou.

Ainda no domingo, Covas comunicou que encaminhou à Câmara Municipal o seu pedido de afastamento da prefeitura pelo período de 30 dias para dar prosseguimento ao seu tratamento contra a doença. O pedido encaminhado à Câmara Municipal não precisou ser votado e foi publicado hoje no Diário Oficial do município. Nesse período, o cargo será assumido pelo vice-prefeito, Ricardo Nunes.

Histórico

Covas foi diagnosticado com um adenocarcinoma em outubro de 2019, um câncer na região da cárdia, entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia.

Em fevereiro do ano passado, exames demonstraram regressão da lesão esôfago-gástrica e da lesão hepática, mas uma biópsia detectou que o câncer nos linfonodos ainda persistia e os médicos decidiram então iniciar uma nova fase de tratamento, baseado em imunoterapia, uma estratégia que permite ao próprio sistema imune do paciente combater a doença. Exames feitos pelo prefeito em abril de 2020 demonstraram controle da lesão em linfonodos.

Já neste ano, em fevereiro, Covas passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. E em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos. Com isso, os médicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, além de imunoterapia. Na semana passada, no dia 27 de abril, ele recebeu alta do hospital, mas voltou a ser internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI) no último domingo (2), após se sentir indisposto, com náuseas e abatido. Os médicos então decidiram intubá-lo por um dia para que o sangramento pudesse ser contido.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Brasil

Réveillon no Rio de Janeiro é suspenso e Carnaval 2022 é incerto

"Tomara que não precise cancelar o carnaval", disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, após anunciar neste sábado (4) a suspensão da festa de réveillon.

4 de dezembro de 2021

Após 40 anos do primeiro caso, epidemia de HIV/aids ainda mata brasileiros

Representantes de grupos de pessoas com HIV reclamam de discriminação e de falta de vontade política para enfrentar a doença. Em 2020, foram registrados 32.701 casos no país.

4 de dezembro de 2021

Homens seguem em cargos-chave na OAB apesar de nova regra

Quase 70% dos secretários-gerais do próximo triênio serão homens, enquanto 74% das secretarias gerais adjuntas serão ocupadas por mulheres.

4 de dezembro de 2021

Vacinas são eficazes e não é hora de mudá-las, defendem diretores da OMS

Os diretores concordam que, agora, a maior preocupação é com a cepa identificada na Índia. E que, ao combater a Delta, países conseguem se preparar para lidar com a Ômicron.

4 de dezembro de 2021

Brasil registra 229 mortes e 10,4 mil infecções pela covid-19 em 24 horas

O País chegou aos 22,1 milhões de casos da infecção desde março de 2020. A média móvel de casos nos últimos 7 dias é de 8.777, conforme o consórcio de veículos de imprensa.

3 de dezembro de 2021

Merval Pereira é eleito presidente da Academia Brasileira de Letras

Também foram eleitos Nélida Piñon, secretária-geral, Joaquim Falcão, primeiro-secretário, Celso Lafer, segundo-secretário, e Evaldo Cabral de Mello, tesoureiro.

3 de dezembro de 2021

Visitas íntimas nas penitenciárias do país têm normas estabelecidas

Administração prisional exigirá, para a concessão da visita conjugal, o prévio cadastro da pessoa autorizada no respectivo serviço social do estabelecimento penal.

2 de dezembro de 2021

Anvisa aprova oitavo produto medicinal à base de Cannabis para uso no Brasil

O produto trata-se de uma solução de uso oral e será fabricado na Colômbia e, depois de pronto, iniciará a distribuição e a comercialização no Brasil.

2 de dezembro de 2021