fbpx

sexta, 28 de janeiro de 2022

Apesar da variante Ômicron, RJ e SP indicam realização do Carnaval

Apesar do temor do recrudescimento da pandemia de Covid-19 devido ao surgimento da nova variante, o Carnaval deve voltar a ser realizado em 2022 em São Paulo e no Rio.

11 de dezembro de 2021

Compartilhe

Pode acontecer Carnaval no Rio em 2022.(Foto: Divulgação)

Apesar do temor do recrudescimento da pandemia de Covid-19 devido ao surgimento da nova variante ômicron, o Carnaval deve voltar a ser realizado em 2022 em São Paulo e no Rio. Na capital paulista, a expectativa é que 15 milhões de pessoas participem apenas nos blocos, conforme informações da prefeitura paulistana, que prometeu fazer da capital paulista o maior número de agremiações nas ruas e eventos (ao menos 867).

No Rio de Janeiro, a folia também foi confirmada: segundo o governo estadual fluminense, há a expectativa de que este ano o evento movimente cerca de R$ 2,2 bilhões de reais na economia. 

Salvador, por sua vez, ainda vive um impasse em relação à festa, não havendo, até o momento, a confirmação, por parte das autoridades competentes, da realização do tradicional evento na cidade. 

Se nos grandes centros, o cancelamento dos festejos tem enfrentado resistência por parte dos gestores municipais, no interior de São Paulo, ao menos 71 cidades já anunciaram que não irão realizar a celebração. Entre elas, estão Botucatu, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano. Também foi cancelado o tradicional carnaval de São Luiz do Paraitinga, que leva multidões às ruas. Será o segundo ano consecutivo que o evento não ocorrerá nesses municípios.

O promoter Diego Mortatti, responsável pela folia das principais celebridades e famosos, assina diversos eventos e festivais no país e observa que o primeiro Carnaval pós-pandemia tende a ser um evento histórico, cuja expectativa é a maior em muitas décadas. “Por isso, é necessário trabalhar para garantir que o festejo, tão especial e único, ocorra conforme o esperado, observando todas as medidas sanitárias”. 

No dia 10 de novembro, o Brasil atingiu a marca de 137,3 milhões de habitantes com esquema vacinal completo contra a Covid-19, segundo levantamento do CVI (Consórcio de Veículos de Imprensa), o equivalente a 64,6% da população. 

Como será o primeiro Carnaval pós-pandemia?

Segundo Diego Mortatti, como já é tradição, o Carnaval deve ser festejado de diferentes formas nas várias regiões do Brasil, que é um país continental, com história, ritmos e costumes singulares. “Estamos ansiosos para a retomada do Carnaval de Recife, que possui o maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada e esperamos, mais do que nunca, voltar a encher os camarotes da Sapucaí, no qual será responsável pelo mailing de artistas e celebridades. Após um ano marcado pela pandemia, temos que celebrar a vida”. 

Por outro lado, de acordo com Mortatti, neste ano, um elemento deve estar presente em todas as festas do país: a observação às medidas de segurança. “É preciso ficar atento, pois em alguns pontos poderá haver a necessidade de apresentação do passaporte da vacina, entre outras recomendações, fundamentais para que todos possam se divertir com segurança, e para que o ‘liberou geral’ não seja um problema sanitário no futuro”, afirma.

Diego Mortatti destaca que, ao longo do período de paralisação, todo o universo do Carnaval procurou usar a criatividade e a inteligência para questionar e repensar a forma como os produtos serão consumidos pelo público.

“O Carnaval é uma festa imensa, que envolve muitas empresas e profissionais, como promoters de festas, escolas de samba, empresas de eventos, agências de turismo, cruzeiros, distribuidoras de bebidas, aluguel de banheiros químicos, fábricas de gelo, hotéis, pousadas e seguranças, apenas para citar alguns. Tenho certeza de que todos se prepararam ao longo dos meses e estão ansiosos com a retomada em 2022”, pontua.

Com informações do Estadão Conteúdo

Leia Mais:

Leia mais sobre Brasil

Reforço vacinal tem intervalo reduzido e imunossuprimidos terão 4ª dose

Redução no intervalo para a dose de reforço quer ampliar a proteção contra a variante Ômicron. No caso dos imunossuprimidos, o intervalo conta a partir da 3ª dose.

20 de dezembro de 2021

Covid-19: Rio de Janeiro confirma primeiro caso da variante Ômicron

Mulher, cuja identidade não foi revelada, tomou a segunda dose da vacina contra covid-19 em março e não tomou a dose de reforço. Ela chegou ao Rio vindo de Chicago.

20 de dezembro de 2021

Chuvas no Sul da Bahia causam mais duas mortes, indica governo

Segundo órgão baiano, ao menos 14 pessoas morreram e 276 ficaram feridas em função dos eventos hidrológicos. Até ontem, 63 cidades baianas já tinham decretado emergência.

19 de dezembro de 2021

Garoto sofre racismo em escola: “Saudade de quando preto era escravo”

Em mensagens compartilhadas em grupo, alunos de colégio de BH fizeram comentários de cunho racista. Família levará caso à polícia.

19 de dezembro de 2021

Câmara técnica citada por Queiroga é favorável à vacinação infantil

No sábado, ministro da Saúde, Marcelo Queiroga disse que tema requer análise aprofundada de técnicos, mas especialistas já se manifestaram a favor do tema.

19 de dezembro de 2021

Ninguém acerta a Mega-Sena; próximo sorteio é da Mega da Virada

São os seguintes os números sorteados: 02 - 08 - 34 - 38 - 47 - 51. O prêmio da Mega-Sena da Virada está está estimado em R$ 350 milhões.

19 de dezembro de 2021

Miguel e Helena lideram ranking de nomes mais comuns no Brasil em 2021

Gael é o terceiro nome mais escolhido entre os meninos no Brasil com 23.973 registros no ano de 2021, mostra levantamento da Arpen Brasil.

19 de dezembro de 2021

Queiroga anuncia redução do intervalo da 3ª dose de 5 para 4 meses

Objetivo da medida anunciada por Queiroga é ampliar proteção da população com avanço da variante Ômicron. Portaria com modificação será publicada na segunda-feira.

19 de dezembro de 2021