segunda-feira, 24 de junho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Ausência de Bolsonaro não atrapalhou conclusões do inquérito, diz PF

Delegada Federal responsável pelo inquérito que investiga vazamento de dados sigilosos pelo presidente Bolsonaro concluiu o trabalho nesta quarta-feira.
COMPARTILHE
Bolsonaro

A delegada da Polícia Federal (PF) Denisse Ribeiro afirmou não ter causado prejuízo a ausência do presidente Jair Bolsonaro (PL) no depoimento do inquérito que apura o vazamento de uma investigação sobre suposto ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A informação consta na conclusão do inquérito, enviada nesta quarta-feira (2) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes ao qual o portal Metrópoles teve acesso.

“Decorrido o prazo estabelecido, não houve atendimento à ordem judicial mencionada, inviabilizando-se a realização do ato e a consequente obtenção da perspectiva do Sr. Jair Messias Bolsonaro a respeito dos fatos. Essa situação, entretanto, não teve o condão de impedir a correta compreensão e o esclarecimento do evento”, escreveu a delegada.

Bolsonaro foi intimado a depor na última sexta-feira (28/1), mas resolveu faltar. Em carta enviada à PF, o chefe do Executivo Federal disse que exerceu o “direito de ausência” ao não comparecer à sede da Superintendência do órgão.

Denisse voltou a incriminar Bolsonaro, como também o deputado federal Filipe Barros (PSL-PR) e o ajudante de ordens presidencial Mauro Cid. “As oitivas das pessoas envolvidas indicam, segundo a PF, que o inquérito obtido foi utilizado com desvio da finalidade, ‘sendo repassado a outros funcionários públicos (presidente da república e assessor especial Mauro Cid) para ser amplamente divulgado como lastro para ilações lançadas durante a chamada live presidencial, um evento que foi preparado com o objetivo de divulgar, por vários canais, o conteúdo do inquérito policial nº 1361/2018-SR/PF/DF como argumento para defender uma narrativa que os participantes já sabiam ser inconsistente’”, escreveu a delegada.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Bolsonaro e Filipe Barros não foram indicados, contudo, devido ao foro por prerrogativa. A conclusão do inquérito será enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR), que irá opinar sobre as investigações. Em seguida, o ministro Alexandre de Moraes se manifestará sobre o caso.

Texto: Portal Metrópoles

Leia mais:

COMPARTILHE